Tempo – Parte 4

Texto: Pv.1.6.1; Tg.4.13-17

Vimos até aqui que devemos remir o tempo, ou seja, ver todos os momentos como possibilidades de sermos a imagem de Deus. Depois consideramos sobre propósito da vida, que nos oriente e direciona os nossos passos. Em terceiro lugar, pensamos na certeza de que Deus controla todos os momentos (tempos) de nossa vida e nada está em nossa esfera de ação.

Seguindo nossas orientações bíblicas olhemos para a segunda: Certos do alvo de nossas vidas, devemos planejar os nossos dias, porém sem nunca desprezar o controle soberano de Deus.

O homem trabalha facilmente com extremos. Num extremo temos aqueles que desejam controlar tudo, mas tudo mesmo, e se esquecem de que há um Deus que governa sobre todas as coisas (Tg.4.13,14). No outro extremo temos aqueles que seguem a filosofia de vida de Zeca Pagodinho “Deixe a vida me levar, vida leva eu!”. Ambos os extremos estão errados, pois não são bíblicos.

A bíblia nos ensina a planejarmos nossos dias e ações, mas certos de que tudo ocorrerá segundo o desejo de Deus. Ou seja, planos e planejamentos bons são aqueles que estão abertos às mudanças. Mudanças que são permitidas por Deus (Pv.16.1; Tg.4.15-17).

Desafios Práticos

Quais são os seus planos?

Você consegue descrever quais são os seus planos para este ano? E para os próximos cinco e dez anos?

Conclusão

Planeje a sua vida e confie no Senhor. Se você não tem planos, gaste um tempo precioso estabelecendo estes planos, porém, não se esqueça: todo o momento deve ser usado para crescimento à imagem de Cristo; foque no propósito da vida estabelecido nas Escrituras; Descanse no fato de que Deus controla cada momento da sua vida; e, planeje.

Tempo – Parte 3

Texto Ec.3.1-8

Uma vez que temos um propósito bíblico estabelecido podemos caminhar na direção das orientações que podem auxiliar-nos no uso de nosso precioso tempo.

Uma primeira orientação bíblica está nos 8 primeiros versículos de Eclesiastes 3. O homem é incapaz de controlar a sua vida, pois todo o Universo obedece ao plano soberano de Deus.

O primeiro versículo estabelece que tudo tem um tempo determinado, quer pensemos em coisas grandiosas ou pequenas coisas.

O segundo versículo desta porção de Eclesiastes ainda nos diz que não temos nem o controle do tempo do nosso nascimento nem de nossa morte. Deus controla cada segundo, cada momento de nossas vidas.

Diante de sua incapacidade de controlar a própria vida, o homem pode confiar que em cada momento Deus faz aquilo que Lhe apraz.

Desafios Práticos

Imagine aquele dia onde você havia planejado sair com seus filhos, amigos, ou até mesmo ficar em casa descansando, porém, seus planos são completamente alterados. Como responder biblicamente a essas mudanças?

Você pode dizer que confia no Senhor em situações evidentes de sua incapacidade de controlar o tempo?

Descreva situações de sua vida onde pôde descansar no Senhor.

Tempo – Parte 2

Texto de Mt.16.21-23; Jo.17.4; At.20.24; Rm.8.29

Uma das principais medidas para lidarmos melhor com o nosso tempo é o estabelecimento de prioridades. Se nós não sabemos para onde iremos, outros dirão por nós.

Quando olhamos para vida do nosso Senhor Jesus Cristo temos a certeza de que Ele tinha clareza absoluta do propósito de sua vida e conduziu os Seus passos convicto para onde ia. Em Jo.17.4, Jesus diz que o alvo da vida Dele foi glorificar o Pai.

Quando Pedro cogitou uma possibilidade diferente para a vida de Cristo, o próprio Senhor o repreendeu (Mt.16.21-23). A clareza de propósito permitia a Cristo conduzir a Sua vida com retidão.

Paulo sabia qual era o seu propósito de vida e deixa isso bem claro em At.20.24, “testemunhar o evangelho da graça de Deus”. Depois ele escreve a igreja em Roma estabelecendo qual o propósito de todo o cristão “sermos conformes à imagem de Cristo” (Rm.8.29).

Temos, nas Escrituras, um claro estabelecimento do alvo da nossa vida que é “Glorificar a Deus através de uma vida conformada a imagem de Cristo”.

Desafios Práticos

Com isso em mente sabemos para onde iremos e assim podermos determinar onde investiremos o nosso tempo e os nossos esforços. Estabelecemos um propósito para nossas vidas a partir das Escrituras, mas qual é, de fato, o seu propósito de vida? Seja bastante franco, pois isso permitirá que você avalie as decisões de sua vida. Você pode perceber qual o seu propósito de vida avaliando onde você utiliza o seu tempo, os seus recursos, as suas capacidades, etc.

Tempo – Parte 1

Se você mora ou conhece alguém que mora em um grande centro urbano, como São Paulo, já notou que uma das expressões mais usadas é: “A vida está corrida”. Sem dúvida alguma está! O que, porém, queremos dizer com esta expressão?

Minha impressão inicial é que não conseguimos fazer tudo o que temos que fazer num tempo hábil, sem ter que sacrificar algo. Essa conclusão nos leva a pensar em como podemos usar o nosso tempo para sermos melhores mordomos daquilo que Deus nos deu. Não podemos mudar o tempo, ele é fixo e estamos “presos” a ele.

Olhemos para alguns princípios bíblicos que podemos usar para considerar o uso do tempo de modo piedoso e prático.

Texto: Leia o texto de Ef. 5.1-16

A realidade da falta de tempo deveria nos conduzir a pensar em como podemos utilizar melhor o nosso tempo.

Paulo utiliza uma construção muito importante em Ef.5.16 que é: “remindo o tempo”. Este texto é fundamental para compreendermos como devemos usar o nosso tempo. O capítulo 5 de Efésios se inicia com uma ordem: “sede, pois, imitadores de Deus” (Ef.5.1). Esse deve ser o propósito da vida de qualquer cristão.

Em seguida Paulo descreve como o cristão deveria se afastar de algumas das práticas mundanas que nos cercam (Ef.5.3-14) e nesse contexto desafia a cada cristão a verificar se o seu caminhar é prudente (Ef.5.15). Mas, o que seria um caminhar prudente?

O primeiro aspecto do caminhar prudente é viver como um sábio e o segundo aspecto é remir o tempo, porque os dias são maus (Ef.5.16).

Nesse sentido, ser prudente em nosso viver passa por uma constante avaliação do nosso caminhar em sabedoria e um contínuo refletir se temos feito o melhor uso do nosso tempo.

Mas o que seria remir o tempo neste contexto? Olhando para o contexto, remir o tempo é buscar em cada oportunidade que surge um modo de ser um melhor imitador de Deus. Eu não preciso esperar “um momento específico”, uma “situação oportuna” para imitar a Deus. Todo momento é o momento certo! Ao usar todo momento para buscar a semelhança com Cristo, estou remindo o meu tempo.

Desafios Práticos

Pense em como você tem remido o tempo em sua vida.

Como remir o tempo quando estou na empresa, em casa, no trânsito, entre amigos, em momentos de lazer? Liste maneiras de remir o tempo nestas circunstâncias.

Quais são os momentos mais difíceis para você ser um imitador de Deus (remir o tempo)?

Faça uma lista destes momentos e em seguida escreva o que você fará para “remir o tempo”.

Biografias Bíblicas – Abraão – Parte II

Texto: Leia o texto de Gn.13.1-13

1.           Abrão deixou a terra de seu pai como o Senhor o havia dito. Levou consigo, porém, a Ló seu sobrinho (Gn.12.4,5). A ordem de Deus a Abrão era que saísse somente ele e sua casa da terra de seu pai e não levasse ninguém como ele, nenhum parente. Quando ambos estavam abastados houve contenda entre eles e entre seus trabalhadores (Gn.13.8). A desavença poderia ter sido evitada se Abrão tivesse obedecido plenamente ao Senhor e não levado seu sobrinho com ele. Agora ele está diante de uma situação onde deve agir de modo a pacificar o conflito e solucionar o problema. Sabiamente é o que ele faz. Pense em você, quando está diante de uma situação de conflito/desavença. Para ser mais preciso, pense nas duas últimas situações de conflito. Você foi ativo para solucionar a questão? Descreva como você fez isso (pense nas palavras que usou, se o momento era adequado para conversar sobre o assunto, seu modo de abordar a situação problema, etc.).

2.           Olhe para Tiago 4.1-4 e relate de onde procedem as guerras e contendas. Você é alguém que busca os seus próprios direitos em situações de tensão? Aliste as últimas cinco situações de tensão ou potencial tensão onde você abriu mão de um direito/suposto direito visando manter a paz.

3.           Sugiro que você leia os capítulos de 4, 5, 6 e 7, do livro Os Conflitos no Lar e as Escolhas do Pacificador, do autor Ken Sande e Tom Raabe, da Editora NUTRA Publicações, 2011, para uma discussão bastante útil sobre passos para buscar a paz

Biografias Bíblicas – Adão e Eva – Parte IV

Texto: Leia o texto de Gn.3.8-24

1.           Nos versos de Gn.3.8-10 descreva mais algumas das consequências do pecado na vida de Adão e Eva. Podemos dizer que o pecado maculou, distorceu, corrompeu a capacidade do homem pensar, sentir e agir corretamente. Como isso fica evidente neste trecho? Podemos confiar no nosso pensar, sentir e agir? Você tende a pensar que suas conclusões são corretas diante de uma determinada circunstância? Olhe para I Sm.18.6-15 e aliste os resultados das conclusões enganosas a que podemos chegar quando avaliamos uma determinada circunstância.

2.           As perguntas feitas por Deus a Adão em Gn.3.11 são muito especiais, pois todas elas buscam descobrir o que se passava na mente dele. Quando você olhar para a sua vida faça perguntas para você mesmo que lhe auxiliem a ver onde está o erro, tais como: (a) O Senhor aprovaria o que estou pensando, planejando ou fazendo? (b) É um bom testemunho? (c) Tem aparência de mal? (d) Edificaria outros? (e) É um exemplo a ser imitado? (f) Me escraviza? (g) Os meus motivos estão corretos? (Leia Sl.139.23,24)

3.           Qual a primeira estratégia usada por Adão e Eva quando confrontados por Deus? Descreva como a estratégia deles fica evidente. Qual tende ser a sua resposta quando confrontado com o seu erro? Descreva quais são as suas reações habituais. Avalie se elas estão alinhadas com as Escrituras. Se não estão que passos planeja dar para alinhar-se aos padrões de Deus no que se refere a maneira como você responde quando confrontado.

Biografias Bíblicas – Adão e Eva – Parte III

Quinta-feira

Texto: Leia o texto de Gn.3.1-7

1.           No Jardim havia ambiente ideal, clima perfeito, comunhão plena com Deus e ausência do pecado. Até este momento da história bíblica apenas três personagens se relacionavam e conviviam harmoniosamente. Você consegue identificá-los antes de estudarmos os versos de Gn.3?

2.           No texto de Gn.3.1-7 um novo personagem é introduzido. Este personagem se utiliza de uma artimanha para conseguir o seu objetivo. Qual é este personagem? Qual a estratégia que ele utiliza para alcançar o objetivo dele (leia Gn.2.16,17)? Qual era o objetivo dele?

3.           O que este novo personagem fez foi estabelecer uma conversa e oferecer para a mulher uma alternativa ao plano de Deus, argumentando a favor de seus interesses. Este personagem foi um antiexemplo de conselheiro. Conselheiros devem conduzir a Deus! Quem são seus amigos e conselheiros? Eles são pessoas que tem te levado a pensar sobre a pessoa e o caráter de Deus? Aliste indivíduos que possam levá-lo para mais perto de Deus. Pense em maneiras de aproximar-se deles. Você identifica amizades cuja influência favorece o seu distanciamento de Deus? O que você planeja fazer com estas amizades?

4.           No texto de Gn.3.6 há um processo de queda bastante bem detalhado. Descreva o processo. Observe como a mulher descreve a árvore e o fruto. Agora veja como este processo se aplica a diversas áreas de sua vida (vitrines, propagandas, pessoas, coisas, imagens, filmes, etc.)

5.           O que a mulher fez diante da proposta do antiexemplo de conselheiro? Qual foi a consequência desta escolha para a homem e para mulher em Gn.3.7? (Leia Gn.2.25). Já ouve ou há uma situação onde, claramente, você é capaz de identificar as consequências de uma escolha pecaminosa na sua vida? Descreva. Olhando para a situação que você acabou de descrever, o que significaria uma escolha correta e quais as consequências?

Biografias Bíblicas – Adão e Eva – Parte II

Quarta-feira

Texto: Leia o texto de Gn.2.18-25

1.           Ao lermos Gn.1.26,27 vemos que Deus criou a humanidade (homem e mulher). Em Gn.2.18-22 vemos o processo mais detalhado da criação da mulher (para a criação do homem veja Gn.2.7). O que a mulher seria para o homem? O termo hebraico usado para traduzir “auxiliadora” em Gn.2.18 é também traduzido nos Sl.33.20; 70.5; 115.9 por “auxílio” e “amparo”. Para quem eles são usados?

2.           Considerando que essa é uma palavra atribuída a Deus o que significa ser “auxiliadora idônea”? Como você esposa pode ser uma auxiliadora idônea ao seu marido?

3.           A mulher foi criada a partir da costela de Adão. Ao ler Gn.2.23 há uma inseparável ligação entre o marido e a esposa, uma vez que ela é “osso dos meus ossos, carne da minha carne”. Que implicações esta ligação traz para o relacionamento marido e esposa? Descreva ao menos duas.

4.           No texto de Gn.2.24 há três resoluções fundamentais para o casamento. Descreva quais são (observe os verbos no versículo!) e anote o que significa cada uma delas. Como você vê isto no seu casamento? Se você é solteiro, como você lidará com este tema no seu futuro casamento, se Deus permitir que se case?

Biografias Bíblicas – Adão e Eva – Parte I

Começamos hoje nossas devocionais sobre “Biografias Bíblicas” e faremos isto da seguinte maneira. Haverá perguntas para cada dia da semana e elas estão divididas em dois grupos: (a) perguntas que orientarão o nosso conhecimento sobre os personagens; (b) perguntas que visam orientá-lo a aplicar para sua vida o que você tem descoberto.

              Iniciaremos com uma dupla biografia – Adão e Eva. Os primeiros personagens da história bíblica e os primeiros seres humanos criados pelo nosso Deus.

Terça-feira

Texto: Leia o texto de Gn.1.26-31

1.           Em Gn.1.26 Deus diz que criou o homem (humanidade). Descreva que características foram dadas a este homem que o diferem do restante da criação (cf. Gn.1.20-25).

2.           Quando Deus criou o homem (humanidade) quais foram as ordens que Deus estipulou para que a humanidade cumprisse (Gn.1.28)?

3.           Ao dar as ordens para o homem (humanidade) Deus também concedeu todo o sustento necessário para que este homem pudesse executar aquilo que Ele havia estabelecido (Gn.1.29,30). Aliste aos menos cinco (5) momentos em sua vida neste ano onde você pôde ver Deus suprindo suas necessidades. (Lembre-se que o que Deus deu à humanidade era o básico para a subsistência!)

4.           Ao final deste processo criativo, Deus olhou para o que havia feito e “eis que era muito bom” (Gn.1.31). Utilize este momento para louvar a Deus pelo cuidado demonstrado por Ele na sua vida. Faça isto orando a Deus.

Biografias Bíblicas – Abraão – Parte I

A Biografia desta semana será de Abraão, o grande patriarca daquela que se tornaria a nação de Israel.

Texto: Leia o texto de Gn.12.1-9

1.           Ao ler este texto você deve ter percebido claramente que se refere a uma ordem dada por Deus a Abrão. Até aquele momento Abrão era um homem comum, filho de Terá, nascido em Ur dos Caldeus, casado com Sarai que era estéril e que se mudou para Harã (Gn.11.27-32). Deus escolheu Abrão para abençoá-lo dentre todos os homens da terra e pediu que saísse da cidade onde vivia e fosse para um local que Ele mostraria. O autor do livro de Hebreus atribui uma decisão de fé a Abrão (Hb.11.8). Hebreus 11.1 nos dá uma definição de fé “a certeza de cousas que se esperam, a convicção de fatos que se não veem”. Abrão seguiu aquilo que Deus havia dito a ele. Viver pela fé é tomar decisões baseadas nas informações que Deus nos fornece por meio de Sua Palavra e confiar que Ele sabe o que é melhor para os Seus filhos. Aliste quais são as grandes decisões de sua vida hoje. Em seguida descreva quais são os passos que você tem dado para tomar essas decisões. Quais são os textos bíblicos que norteiam cada uma de suas decisões? Quais são as perguntas que você procura responder antes de tomar tais decisões? De que maneira os conselhos de irmãos maduros na fé podem auxiliar a tomarmos nossas decisões? Descreva duas situações onde você buscou conselhos para a tomada de decisões.