Tempo – Parte 4

Texto: Pv.1.6.1; Tg.4.13-17

Vimos até aqui que devemos remir o tempo, ou seja, ver todos os momentos como possibilidades de sermos a imagem de Deus. Depois consideramos sobre propósito da vida, que nos oriente e direciona os nossos passos. Em terceiro lugar, pensamos na certeza de que Deus controla todos os momentos (tempos) de nossa vida e nada está em nossa esfera de ação.

Seguindo nossas orientações bíblicas olhemos para a segunda: Certos do alvo de nossas vidas, devemos planejar os nossos dias, porém sem nunca desprezar o controle soberano de Deus.

O homem trabalha facilmente com extremos. Num extremo temos aqueles que desejam controlar tudo, mas tudo mesmo, e se esquecem de que há um Deus que governa sobre todas as coisas (Tg.4.13,14). No outro extremo temos aqueles que seguem a filosofia de vida de Zeca Pagodinho “Deixe a vida me levar, vida leva eu!”. Ambos os extremos estão errados, pois não são bíblicos.

A bíblia nos ensina a planejarmos nossos dias e ações, mas certos de que tudo ocorrerá segundo o desejo de Deus. Ou seja, planos e planejamentos bons são aqueles que estão abertos às mudanças. Mudanças que são permitidas por Deus (Pv.16.1; Tg.4.15-17).

Desafios Práticos

Quais são os seus planos?

Você consegue descrever quais são os seus planos para este ano? E para os próximos cinco e dez anos?

Conclusão

Planeje a sua vida e confie no Senhor. Se você não tem planos, gaste um tempo precioso estabelecendo estes planos, porém, não se esqueça: todo o momento deve ser usado para crescimento à imagem de Cristo; foque no propósito da vida estabelecido nas Escrituras; Descanse no fato de que Deus controla cada momento da sua vida; e, planeje.